Atrito
Atrito é um livro-objeto que investiga a relação do skate com a cidade de São Paulo. Nessa associação, a arquitetura tem papel fundamental: é objeto de uma relação inusitada, permitindo que os skatistas reconheçam locais da cidade por ângulos e texturas pouco óbvios à maioria da população. Há, ainda, um material que torna possível o atrito do skate com esses lugares: a vela, que sofre ação do tempo e acaba ficando impregnada às superfícies, deixando marcas, que são signos de que o local é usado por skatistas.
O livro ainda propõe um jogo: primeiro, fotografias fechadas dessas marcas apresentam uma maneira diferente de observar a cidade, tornando seu reconhecimento mais difícil. Depois, estão os mesmos locais, num plano mais aberto, porém sem uma resposta verbal.
Atrito usa, como capa e quarta capa, as extremidades de um shape (prancha de skate) unidas por uma dobradiça, colocando em contato a materialidade do objeto (madeira + lixa) com fotografias de pontos clássicos do skate da cidade. O título foi aplicado no shape com Letraset.
O projeto ainda se desdobrou em múltiplos, facilitando sua reprodução em escala industrial: brochuras cujas capas foram recobertas com lixa, transportando o caráter tátil do skate para o objeto livro.